12 julho 2013

Constatação


Quando me falam sobre você, quando os elogios são intensos demais e a admiração por ti pareceu ceder o limite do lícito, percebi que me incomodava. Incomodava-me o fato de alguém olhar para ti com o olhar de desejo somente permitido a mim. Incomodava-me ter que explicar sobre suas qualidades, mesmo que escondesse para mim suas manias, seus medos e seus amores.

Foi nesse momento em meio a um sentimento estranho, da qual me recordo ter sentindo apenas em tempos longínquos, que percebi o quanto eu estava apegado a ti. Já me recuso a dormir sem ouvir a tua voz à noite, considero crime não ler os teus recados em meus murais, acuso-te de abandono deste incapaz se não ligares para mim, e juro-te amar menos se não transformares essa distância em proximidade, mesmo que esse juramento seja mais falso do que as respostas afirmativas quando perguntas se tudo isso é apenas amizade.


Não negarei, já fazes parte dos meus sonhos, dos meus planos e do meu futuro. És a doce interrupção de meus dias. Digo isso e reafirmo, para que não venha outro e diga-te mentiras. Porque a grande verdade é que me apeguei a ti com amor e dedicação, em você eu encontro o descanso necessário para todos aqueles que amam.