03 janeiro 2015

Cancelando um Café


Duda, creio que São Pedro ouviu nossas conversas. Com todo respeito e reverência ao excelentíssimo santo, penso que ele sentiu inveja do nosso café. Um anjo me disse – não posso citar o nome dele para evitar contendas no céu – que enquanto conversávamos ontem à noite, sem querer o amado santo visitou nossas conversas.

Dizem os outros anjos que o céu está cheio de gente que não perde uma oportunidade para nos fazer brincadeiras e despertar eternas gargalhadas. Existem até uma história contada por lá que é o São Pedro que por debaixo das nuvens costuma organizar todo o esquema celestial de risadas.

Assim sendo, percebendo que há muitos anos planejávamos nosso café, ele saiu correndo entre os corredores celestiais. Afinou os instrumentos musicais, verificou o batuque da percussão, chamou São João que era acostumado com festas e negociou com São José a ornamentação com luzes que pudessem clarear uma cidade toda. A ideia era bastante simples: fazer um som da pesada nos céus, pois sempre que os seres celestiais estão felizes caem gotas de alegria sobre a terra que fazem germinar novas vidas.

Não sei se de bom grado para com os outros súditos ou de pirraça para com nós, assim ele fez o determinado e aqui estamos mais uma vez cancelando o nosso café. Ressalto que tínhamos em nossa mesa pão de dois tipos, um com gosto de pão e outro saudável, geleia de morango apimentada, café preparado com carinho e até um bolo chamado Cuca, feito especialmente por uma amiga que aqui encontrarias. Entre talheres, pratos e xícaras distribuídos pela mesa, senti falta do que você tinha prometido me trazer: seu sorriso e um abraço que renova a alma.

Atenciosamente,

Seu Amigo, Régis!


P.S.: Vamos marcar outros cafés, gosto de encontros, dos nossos e da chuva tocando em meu telhando.