19 outubro 2016

Há Uma Eternidade



Procurei nas minhas lembranças perdidas onde te encontrei,
E assim justificar essa sensação de reencontro.
Examinei entre os meus sentimentos o motivo desse medo
De aproximar-se, de entregar-se e de viver.
Busquei onde era timidez a coragem para olhar em teus olhos e sorrir.

Na primeira vez que me escrevestes
A felicidade provocou o esquecimento de uma resposta.
Na segunda vez que nos encontramos
A caminhada permitiu novos laços de afetividade.
E de forma afetiva, na terceira me rendi.

Nos dias que se passam lentamente sem você,
Acelero e me contenho, aprendo a ser paciente,
Entendendo que para tudo há um tempo

E para outras há uma eternidade...